Transitivos

Livro Transitivos - Marcio Dal Rio

Lançamento: Agosto de 2010

Editora: OFF Produções Culturais

Transitivos é uma coletânea de um grupo de escritores que utilizam o blog como suporte para seus experimentos poéticos e ficcionais

Confesso que jamais deixarei de amar Iolanda Helena.
Pegou-me saído de uma história de amor, completamente sangrando, sobrevivo de uma boa surra.
Tinha os olhos luminosos, o sorriso maliciosamente framboesa, o corpo forte e as botas brancas comidas de terra.
Em poucas semanas, Iolanda Helena me consumiu vorazmente. Depois me deixou num repente tão repentino quanto o estalo de um raio. Fiquei a ver a poeira do asfalto, com o coração jorrando, mais uma vez na lona. E assim decidi retomar meu destino. Embora doce e traiçoeira, Iolanda Helena fez questão de me avisar que aquela história não duraria muito. Que nosso destino era tão distinto quanto água e pavio. Confesso que jamais deixarei de amar Iolanda Helena. Embora saiba que esse amor feito de carne e sangue tornou-se meramente figurado. Um lance de memória, uma brisa, um assovio.

 

Pequeno sertão: incertezas.
Eucaliptos que tomam veredas
Na sem-sobrança de buritis.
O moto-vaqueiro apenas vadia a vida
Sem nada de tocar a boiada
Nem a doce cantoria do êeeeeeee, boi.
E nada de Riobalda, tampouco Diadorim.
Tampouco Nhorinhá, tampouco Otacília.
Tampouco Zé Bebelo, tampouco Hermógenes.
Tampouco Maria Deodorina.
Toda saudade é uma espécie de sandice.
O sertão é o sem-lugar do mundo-algum.
Nem o sossego, nem desejos, talvez dejetos.
Nada de rosa, tampouco jagunço.
A paciência de deus já se esgotou.